segunda-feira, 30 de junho de 2014

OS DEMÓNIOS DE ALCÁCER KIBIR NO FÓRUM LISBOA

O filme OS DEMÓNIOS DE ALCÁCER KIBIR,  de José Fonseca Costa, é exibido esta quinta-feira, 3 de Julho, às 21h30, no Fórum Lisboa (antigo Cinema Roma), tendo como convidado na sessão Jorge Leitão Ramos, crítico de cinema.

Cópia em 35mm.


Organizada pela Assembleia Municipal de Lisboa e pela produtora Real Ficção, a sessão integra o ciclo “40 anos 25 de Abril”, que prossegue até final de Julho, às quinta-feiras, 21h30, com entrada gratuita, no Fórum Lisboa. 


O percurso de uma pequena companhia teatral pelo Alentejo em vésperas do 25 de abril, percorrido por uma série de símbolos da repressão e revolução que anunciam o fim da ditadura. José Fonseca e Costa devolve-nos a imagem de um país que mergulha num passado recente e nos fantasmas do inconsciente nacional. Segundo escreveu Eduardo Prado Coelho, “abre-se aqui uma outra teoria onde aproximadamente se proclama que a liberdade se conquista sempre onde o real tal-qual-é se fende e o imaginário se nos propõe”. Apresentado em Cannes na Quinzena dos Realizadores, teve estreia comercial em Portugal em 1977. Canções de Sérgio Godinho, que tem aqui a sua estreia como ator no cinema português.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

GESTOS E FRAGMENTOS NO FÓRUM LISBOA

O filme GESTOS E FRAGMENTOS, de Alberto Seixas Santos, é exibido esta quinta-feira, 26 de Junho, às 21h30, no Fórum Lisboa (antigo Cinema Roma), tendo como convidados na sessão Diana Andringa, jornalista, e Otelo Saraiva de Carvalho, Capitão de Abril.

Cópia em 35mm.

Organizada pela Assembleia Municipal de Lisboa e pela produtora Real Ficção, a sessão integra o ciclo “40 anos 25 de Abril”, que prossegue até final de Julho, às quinta-feiras, 21h30, com entrada gratuita, no Fórum Lisboa. 

"Ensaio sobre os militares e o poder", frase que também pertence ao título de GESTOS E FRAGMENTOS, resume o espírito do filme, assente em três pontos de vista sobre o mesmo tema: os de Otelo Saraiva de Carvalho e de Eduardo Lourenço, nos seus próprios papéis, e o protagonizado por Robert Kramer, como um jornalista americano embrenhado na procura de explicações para o processo tomado pela Revolução portuguesa. "Certeiro e mortífero". Um dos mais impressionantes olhares cinematográficos sobre a revolução de Abril.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

A CULPA NO FÓRUM LISBOA

O filme A CULPA, de António Victorino d’Almeida, é exibido esta quinta-feira, 19 de Junho, às 21h30, no Fórum Lisboa (antigo Cinema Roma), com a presença da actriz e realizadora Inês de Medeiros.

Cópia em 35mm.

Organizada pela Assembleia Municipal de Lisboa e pela produtora Real Ficção, a sessão integra o ciclo “40 anos 25 de Abril”, que prossegue até final de Julho, às quinta-feiras, 21h30, com entrada gratuita, no Fórum Lisboa. 

Escrito, realizado e produzido por António Victorino d’Almeida, que é também autor da música original do seu filme, A CULPA  é um dos primeiros filmes portugueses  de ficção, depois do 25 de abril, a fazer da  guerra colonial e das suas consequências a sua matéria narrativa.  A história segue a personagem de um ex-combatente na Guiné, regressado a Lisboa com os fantasmas das experiências aí vividas. Segundo palavras  do próprio realizador: “o filme joga em cores  berrantes, numa linguagem berrante, e tudo isso é característico da minha maneira de trabalhar em música. Por isso, o aspecto  mais musical do filme não está na música, esta é apenas um estofo, está nele próprio”.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

terça-feira, 3 de junho de 2014

PROGRAMA DO CICLO DE CINEMA '40 ANOS 25 DE ABRIL' - MÊS DE JUNHO

Ciclo de Cinema organizado pela Assembleia Municipal de Lisboa e pela produtora Real Ficção, o ciclo "40 anos 25 de Abril", prossegue até final de Julho, às quinta-feiras, 21h30, com entrada gratuita, no Fórum Lisboa (Antigo Cinema Roma). As sessões contam sempre com a presença de convidados.

CLIQUE PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO

segunda-feira, 2 de junho de 2014

SOBE E DESCE CHEGA AO BRASIL

O Cultuga, espaço dedicado à divulgação da cultura portuguesa no Brasil mantido pela jornalista luso-brasileira Priscila Roque, fez um vídeo sobre o nosso SOBE E DESCE!
 

CONTINUAR A VIVER OU OS ÍNDIOS DA MEIA PRAIA NO FÓRUM LISBOA

CONTINUAR A VIVER OU OS ÍNDIOS DA MEIA PRAIA, de António da Cunha Telles, é exibido esta quinta-feira, 5 de Junho, às 21h30, no Fórum Lisboa (antigo Cinema Roma), tendo como convidado na sessão o Urbanista e Arquitecto Nuno Portas.

Cópia 35 mm.

Organizada pela Assembleia Municipal de Lisboa e pela produtora Real Ficção, a sessão integra o ciclo "40 anos 25 de Abril", que prossegue até final de Julho, às quinta-feiras, 21h30, com entrada gratuita, no Fórum Lisboa.

Meia-Praia, comunidade piscatória próxima de Lagos vive com o 25 de Abril de 1974 uma experiência original e exemplar. As velhas casas são substituídas por moradias de pedra erguidas pela população e nasce a esperança de constituição de uma cooperativa de pesca. Surgem dúvidas, contradições, desgaste. Assiste-se ao primeiro acto eleitoral livre. Filmado na linha dos grandes clássicos russos, as personagens ganham uma dignidade e uma nobreza ímpar, iluminados pelo sol do Algarve.

CLIQUE PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO